login
Cuidado com a inflação!
Publicado 01 Fevereiro, 2015
Cuidado com a inflação!
Rodrigo D'Avila Rodrigo D'Avila
Educação Financeira
Comentários 0 Comentários

Um dos assuntos mais comentados e que mais assusta os brasileiros atualmente é a inflação, que está perto dos 9% ao ano e subindo dia após dia. Mas você sabe o que é inflação e como ela afeta a sua vida? Hoje vamos falar um pouco sobre isso e como você pode proteger seu dinheiro.
Resumindo, inflação é o aumento generalizado nos preços que pode ter uma causa monetária (impressão de dinheiro pelo governo), psicológica (as empresas aumentam os preços porque acham que os outros vão aumentar também) ou uma causa real (desajuste entre a oferta e demanda por produtos e serviços).

Nos anos 80 e início dos 90, o Brasil já chegou a ter uma inflação superior a 80% ao mês. Imagina viver num lugar que os preços quase dobram de um mês para o outro e que o seu salário não consegue chegar ao final do mês. A inflação é trágica para a economia e, principalmente para os mais pobres, que não conseguem ter acesso a investimentos que conservem o valor do dinheiro.

Mas voltando aos dias atuais, como o controle da inflação depende do governo e você, sozinho, não pode fazer nada para mudar o rumo da nosso economia, temos que nos adaptar a ela, ou seja, dançar conforme a música.
A primeira coisa que você precisa fazer para conservar o valor do dinheiro é procurar investimentos que acompanhem ou, de preferência, superem os índices inflacionários. Entre os mais acessíveis estão o investimento no Tesouro Direto, como por exemplo, os papéis Tesouro Selic (que pagam a taxa SELIC, atualmente em 13,75%) ou os papéis Tesouro IPCA (que pagam a inflação medida pelo IPCA + uma taxa extra, atualmente variando entre 5,9% e 6,6%). Você pode consultar os títulos disponíveis para compra nesse endereço: http://www3.tesouro.gov.br/tesouro_direto/consulta_titulos_novosite/consultatitulos.asp. Mais sobre Tesouro Direto, leia o que escrevemos sobre isso clicando aqui e aqui

Uma outra opção seriam os LCA's e LCI's, que também já falamos, e você pode ler novamente clicando aqui.

Você também pode procurar alguns Fundos de Renda Fixa oferecidos pelos bancos, mas lembre-se que aplicando em fundos, você sempre terá que pagar uma taxa de administração, que pode comer boa parte da rentabilidade. Com um pouco de estudo, você pode aplicar diretamente sem precisar pagar para um banco fazer isso por você.

Por fim, o que você deve evitar em tempos de inflação alta, é deixar seu dinheiro em investimentos que não conseguem sequer empatar com a inflação, e o mais conhecido e utilizado pelos brasileiros é a nossa famosa poupança. A poupança rende aproximadamente 6,5% ao ano, como estamos com a inflação beirando os 9%, você já estará perdendo aproximadamente 2,5% em um ano. Não faz nenhum sentido você "emprestar" esse dinheiro para o banco e ele te devolver menos (descontada a inflação) do que você deixou lá. 

Com essas pequenas dicas, você poderá passar por esse período de crise, minimizando ao máximo os efeitos negativos que todos nós estamos sentido.

Até a próxima!


O texto reflete a opinião do(s) autor(es). O Minuto Dinheiro não se responsabiliza por lucros ou prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Rodrigo D'Avila, formado em Administração de Empresas. Investe desde 2006 no mercado financeiro e pretende compartilhar nesse espaço os conhecimentos e experiências adquiridas ao longo de todos esses anos.

 

 

PORQUE O SEU TEMPO É DINHEIRO!
Receba novas publicações no seu email. Diretamente para você a cada semana.
Dicionário Financeiro

Digite um termo para visualizar o seu significado.